5 dicas para uma migração de plataforma de e-commerce bem sucedida

por | jul 4, 2022 | Uncategorized | 0 Comentários

Fazer a migração de plataforma de e-commerce é uma decisão muito importante, que precisa ser muito bem pensada e bem executada. Afinal, qualquer troca de tecnologia dentro de uma empresa pode gerar problemas, além de desconfortos relacionados à mudança de ferramenta para os colaboradores e a empresa em si.

Contar com a plataforma de e-commerce ideal é importante para garantir que a manutenção do site não substitua o foco nas oportunidades reais de geração de receita e no crescimento de sua empresa.

Confira algumas dicas do nosso gerente de implantação, Juliano Molina, para minimizar os impactos ao migrar de plataforma. Confira!

1 – Definir e analisar a melhor plataforma que mais se adequada para seus objetivos e que permite um range maior de possibilidades para o seu negócio, talvez seria o primeiro passo. Obviamente o reason why surge quando seu negócio está escalando e a primeira opção de solução para e-commerce não está mais atendendo suas necessidades.

2 – Não se esqueça do SEO: a famosa “barrigada” é o grande vilão de qualquer migração, grandes sites já perderam até 80% do seu tráfego por conta de uma migração não planejada e mapeada. Portanto rever a arquitetura da informação, metadados, redirect 301 bem planejados e obviamente um backup de tudo que foi otimizado no site atual, são de extrema importância.

3 – Migração de usuários: imagine perder toda sua base de clientes de uma hora para outra e/ou obrigar todos os seus usuários a refazer o cadastro em seu novo site quando fizerem uma nova compra. Sabemos que dados do usuário são sensíveis, mas existem maneiras de importar essas informações facilitando a nova jornada em um novo ambiente.

4 – Integrações: uma solução bem integrada onde todos os touchpoints do usuário e plataforma se conversem é bem importante. O usuário quer informação real time. Certifique-se que sua nova plataforma permita integrações com ERP’s, plataformas de CRM e atendimento e um TMS. E caso tenha um integrador próprio (a Selia tem um) ou middleware, tenha certeza que esta plataforma permita conexões com apps terceiros.

5 – Design e UX: verificar se novas funcionalidades e UI são possíveis e/ou compatíveis com a solução escolhida pode ser uma surpresa dependendo do que foi proposto ou brifado. Às vezes um produto digital customizado pode não funcionar ou atender as expectativas em termos de UX podendo frustrar o usuário. Existem plataformas que oferecem diversos apps que podem ser instalados e plugados na plataforma, evitando custos e tempo de desenvolvimento (não isentando custos de mensalidade) e que podem valer a pena. Design sempre alinhado com performance, lembre-se disso. Responsividade e mapeamento de UI em diversos devices é primordial.

Compartilhe com seus amigos

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

pt_BR